Vitrine

Férias 2016 - 2017

Férias 2016 - 2017




Sim, vamos tirar alguns dias para descansar, sem atualizações, sem pesquisas. Apenas relaxar um pouco e voltamos logo.

Divirtam-se e nos vemos em Janeiro de 2017!

Bon Jovi - Hallelujah




Envie seus comentários e sugestões e compartilhe este artigo!

brazilsalesforceeffectiveness@gmail.com

✔ Brazil SFE®✔ Brazil SFE®´s Facebook´s Profile  Google+   Author´s Professional Profile  ✔ Brazil SFE®´s Pinterest       ✔ Brazil SFE®´s Tweets

Index 2016 - 370 Artigos Brazil SFE

Index 2016 - 370 Artigos ✔ Brazil SFE®



Indústria Farmacêutica


Acesse + de 370 Artigos


Dicas, Conceitos, Consultoria, Efetividade, Força de Vendas, Gestão, Líderes, Vendas Direta, Consultoria Médica.





Envie seus comentários e sugestões e compartilhe este artigo!

brazilsalesforceeffectiveness@gmail.com

✔ Brazil SFE®✔ Brazil SFE®´s Facebook´s Profile  Google+   Author´s Professional Profile  ✔ Brazil SFE®´s Pinterest       ✔ Brazil SFE®´s Tweets

Usando Dashboards Executivos para Gestão Hospitalar

Usando Dashboards Executivos para Gestão Hospitalar - Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santos



Analise 4 Modelos de Dashboards com KPIs (Indicadores Chave de Desempenho) para a Gestão Hospitalar.

Aqueles de nós que têm desenvolvido projetos com Dashboards em várias indústrias, sabem que o passo primordial para irmos bem, envolve entender quais são as regras do negócio, os fluxos de trabalho e as medidas de desempenho verticais que devem ser acompanhadas.

No último final de semana, estive no hospital SCMS - Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santos. Ali tive contato com um Dashboard altamente funcional que me fez escrever este artigo refletindo no modo como temos operacionalizados nossos Dashboards nas empresas.




#Dashboard #Scorecard #Report #BigData #KPI #VBADashboardsSpecialist #SCMS #ERP #SAP #Cockpit 

Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!


⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST


⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®

⬛◼◾▪ CONTATO ▪

Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Porque as Empresas que Investem em Funcionários são mais Competitivas

Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Porque as Empresas que Investem em Funcionários são mais Competitivas


A correlação direta entre o bem-estar no local de trabalho e melhora na produtividade é bem conhecida, pois, quem estiver sendo melhor motivado, apresentará resultados melhores. E as empresas que investem em funcionários são mais competitivas, reduzem custos, e em 2017 crescerão mais do que a média. Para colocar essa percepção no papel, a  Zurich Investments Life SpAno relatório Criando valor através dos Benefícios aos empregados, tem analisado os efeitos de investimentos em benefícios dos empregados sobre a rentabilidade e a competitividade de 175 empresas italianas com mais de 100 empregados. 

Os benefícios, diz Zurich, ajudam a desenvolver nos funcionários um maior sentido de pertencimento à empresa, melhorando o ambiente de trabalho, sendo uma excelente alavanca para atrair os melhores talentos do mercado. Oitenta e quatro por cento das empresas que implementam um SBC - Sistemas de Bem-Estar Corporativos - registra um bom clima de negócios, contrário a 69% das empresas que não investem em funcionários. 



Na ItáliaZurich detectou que apenas 40% das empresas que oferecem serviços aos empregados e benefícios adicionais. Fazem isso principalmente nas empresas do Norte, numa percentagem mais elevada do que as empresas com mais de 500 empregados. Mas, no final, os benefícios relacionados com o desempenho do trabalho (ticket refeição, telefones comerciais e carros) são o principal e mais tradicional; seguros, saúde e previdência complementar são os mais prevalentes. No entanto, raramente serviços para a educação e cuidados com as crianças estejam presentes. Em média ocorrem apenas em 21,1% das empresas.





Creare valore con gli Employee Benefit


Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Trazem Melhor Performance Econômica às Empresas

Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Trazem Melhor Performance Econômica às Empresas



Pois bem, iniciei o assunto sobre SBC - Sistemas de Bem-Estar Corporativos - no artigo 'É um Investimento que Agrega Valor e Atrai Talentos?' E sobre o qual ampliei algumas visões e detalhes no artigo 'Ferramenta Competitiva Ainda Subestimada Pela Empresa Como Um Motor de Crescimento'.

Em ambos comentei a pesquisa 
Criando valor através dos Benefícios aos empregados, solicitada pela empresa Zurich Investments Life SpA, que a encomendou à SWG SpA. A amostragem envolveu 175 Gestores de RH na Itália.  O período abrangido foi de 15 de julho a 10 de setembro de 2016.

Há uma clara percepção do papel ocupado pelo valor estratégico, ao implementar um investimento em SBC. O bem-estar corporativo é subestimado pelas empresas. Perceba que 84% das empresas que implementaram Sistemas de Bem-Estar Corporativos relataram melhorias no clima organizacional. O percentual cai 15 pontos nas empresas que não adotaram políticas ad hoc. E quase a mesma diferença de percepção é obtida em termos de propriedade da empresa (14 pontos), redução na rotatividade de pessoal (12 pontos), e atração de talento (10 pontos).



Um caminho de baixo para cima para construir um sistema de benefícios flexíveis



Os Sistemas de Bem-Estar Corporativos  devem ser implantados de baixo para cima, com uma estratégia de comunicação cuidadosa e com a intenção de desenvolver um sistema on demand, orientada para responder da maneira mais personalizada possível às necessidades dos colaboradores e suas famílias.



Creare valore con gli Employee Benefit





















Sistemas de Bem-Estar Corporativos:



    Envie seus comentários e sugestões e compartilhe este artigo!
    brazilsalesforceeffectiveness@gmail.com
    ✔ Brazil SFE®✔ Brazil SFE®´s Facebook´s Profile  Google+   Author´s Professional Profile  ✔ Brazil SFE®´s Pinterest       ✔ Brazil SFE®´s Tweets

    Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Ferramenta Competitiva Ainda Subestimada Pela Empresa Como Um Motor de Crescimento

    Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Ferramenta Competitiva Ainda Subestimada Pela Empresa Como Um Motor de Crescimento



    Dou continuidade ao artigo Sistemas de Bem-Estar Corporativos - É um Investimento que Agrega Valor e Atrai Talentos? 

    Ali introduzi o que a empresa Zurich Investments Life SpA fez ao encomendar uma pesquisa à empresa SWG SpA intitulada: Criando valor através dos Benefícios aos empregados. Sua amostragem foi de 175 Gerentes de RH em empresas Italianas com mais de 100 empregados, excluindo as instituições públicas de empresas de seguro e corretagem de imóveis.  O período abrangido foi de 15 de julho a 10 de setembro de 2016.


    Pois bem, 41% das empresas pesquisadas com SBC - Sistemas de Bem-Estar Corporativos proporcionarão crescimento em 2017. Há uma hipótese de ocorrer uma queda de 4 pontos, 37%, nas empresas que não adotarem tais benefícios sociais na empresa. Além disso, observou-se excelentes performances nas empresas que implementaram SBC para os empregados nos últimos 5 anos, em comparação com aquelas que os têm a mais de 6 anos, mostrando-se com 35% de expectativa para 2017, no primeiro caso e 65% no segundo.


    Os dados consolidados no relatório expõem a intrínseca interdependência entre o montante investido no bem-estar e o resultado nos negócios em termos de retenção (especialmente dos níveis de profissionais intermediários) e consequente na redução dos custos de substituição de pessoal. Graças à aplicação das políticas de bem-estar adequadas. De fato, 37,4% das empresas têm visto um aumento na produtividade, enquanto 29,3% usufruem a redução da rotatividade de pessoal.


    O investimento em Sistemas de Bem-Estar Corporativos, portanto, tem um impacto positivo sobre os custos diretos da empresa, relacionados com a substituição de pessoal. Esta pesquisa mostra ainda que as empresas que registraram altas taxas de rotatividade de empregados (superiores a 5%), hoje são confrontadas com despesas de procura|pesquisa, seleção e treinamento de novos funcionários. O que corresponde a 17,5% dos custos de RH contra 4,5% registrados em média pelas empresas cientes do SBC
    Por outro lado, as empresas que introduziram SBCs, obtiveram excelentes impactos em seus custos diretos no volume dos negócios, diminuindo-os drasticamente, atingindo em média 1,5%, um decréscimo de 4 pontos percentuais sobre as empresas que não foram capazes de fazê-lo.


    Em particular, o percentual de gastos em "Pesquisa e Consultoria" e treinamento de novos empregados aumentou 3,7% e 5,1% em empresas que não oferecem planos de previdência, em comparação com empresas onde são oferecidos benefícios suplementares.





    Creare valore con gli Employee Benefit





















    Sistemas de Bem-Estar Corporativos - É um Investimento que Agrega Valor e Atrai Talentos?

    Sistemas de Bem-Estar Corporativos - É um Investimento que Agrega Valor e Atrai Talentos



    Sei que este artigo parece estar na contramão da discussão brasileira atual, afinal de contas neste exato momento, em plena segunda quinzena de Dezembro|2016, o Brasil encontra-se com uma taxa percentual de desemprego que certamente ascende a 25%.

    Mesmo assim, caso tenha paciência e certo desejo de antever mercados maduros que já passaram por reformulações mais profundas e contundentes do que a nossa, terá chance de aprender lições valiosas com a experiência alheia.


    Neste artigo desejo jogar luz sobre aspectos que interessam tanto aos colaboradores atualmente empregados, como aos milhões em situação com altíssima instabilidade econômica, sem uma aparente resolução e definição neste cenário. Estes, atualmente desprovidos de uma fonte fixa de renda não podem e nem devem desperceber-se que em breve retornarão ao mercado de trabalho. Neste momento, todos estaremos em situações similares, mas não devemos estar menos informados ou cientes das práticas internacionais de mercado.


    O assunto que introduzo: Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Visa manter posições profissionais valorizadas, melhor asseguradas, e cuidadas. Tornar as mãos do empregador mais fortes, retendo seus talentos individuais, mantendo suas posições hierárquicas intocáveis, minimizando custos de desligamento e recontratação, treinamento e a perda da cultura tão dificilmente implantada.


    Espero que neste momento sombrio, não seja a garantia do emprego, o único argumento atrativo nas empresas do nosso país, mesmo naquelas inúmeras filiais brasileiras de matrizes europeias, asiáticas e norte americanas. Não! Que as mesmas medidas e práticas aplicadas externamente possam ser estendidas à partir de suas respectivas matrizes ao redor do mundo, em nossas filiais e congêneres. Que reflitam-se aqui a preocupação com o Ser Humano, mais do que com o lucro imediato. Que essa compreensão e amadurecimento refletidos na pesquisa analisada abaixo, possa ser experimentada não somente nas filiais de outros países, mas que sirva também como inspiração e aprendizado às empresas nacionais, especialmente as da Indústria Farmacêutica brasileira.


    A empresa Zurich Investments Life SpA encomendou uma pesquisa a empresa SWG SpA intitulada: Criando valor através dos Benefícios aos empregados (na tradução livre que o meu italiano permitiu). Uma pesquisa com uma amostragem de 175 Gerentes de RH de empresas na Itália, com mais de 100 empregados, excluindo apenas as instituições públicas de empresas de seguro e corretagem de imóveis.  O período analisado é bem recente, de 15 de julho a 10 de setembro de 2016.


    Certamente tais frutos podem [e devem] inspirar os executivos da Indústria Farmacêutica, a quem convido debruçarem-se um pouco sobre este artigo.


    Algumas das empresas consultadas








    Life SpA 4 BETA S.p.A., CAB PLUS JESI S.r.l., Akzo Nobel Coatings S.p.A., Alkar Annovi Reverberi S.p.A., Arst S.p.A., Baltour S.r.l., Baroni S.p.A., Beta S.p.A., BFR Group Boero Bartolomeo S.p.A., Bofrost Italia s.p.A., Boldrocchi S.r.l., Bortoluzzi Sistemi S.r.l., Brunello S.p.A., C.E.M.E.S., S.p.A., Cab Plus Jesi S.r.l., Camassambiente S.p.A., Came S.p.A., Capp Plast S.r.l., Carraro S.p.A., Cassioli S.r.l., Cdm tecnoconsulting S.p.A., Cembre S.p.A., Cemental S.p.A., Centrale del latte di Firenze, Pistoia e Livorno S.p.A., Centralpol S.r.l., Centro Style S.p.A., Chef Express S.p.A., Cimolai S.p.A., Cisa S.p.A., CO.RA., S.r.l., Colacem S.p.A., Colombo Filippetti S.p.A., Coop Alleanza 3.0., Soc., Coop., Coventya S.p.A., Doppel Farmaceutici S.r.l., Econord S.p.A., Grazie! Zurich Investments Life SpA 5 Faber S.p.A., Favini S.r.l., Florim ceramiche S.p.A., Formificio Romagnolo S.p.A., Franzese S.p.A., Generale Costruzioni Ferroviarie S.p.A., Goldoni s.p.A., GSG International S.p.A., Guala dispensing S.p.A., Hilton Molino Stucky - Venice Hotelplan Italia S.p.A., Insiel S.p.A., Intesa San Paolo S.p.A., ISS Facility Services S.r.l., Istituto David Chiossone Onlus Komatsu Italia Manufacturing S.p.A., Lafert Servo Motors S.p.A., Lear Corporation Italia S.r.l., Lotto Sport Italia S.r.l., Magneti Marelli Holding S.p.A., Marsch S.p.A., Metal work S.p.A., Molinas Peppino & Figli S.p.A., NCR Italia S.r.l., O.M.A., S.r.l Officine Tecniche del Pasquale S.r.l., Progressum Diligens S.r.l., Savio Macchine Tessili S.p.A., Savio S.p.A., Siap S.p.A., Sistemi S.p.A., Sony Europe Limited - sede secondaria italiana Tokheim Sofitam Italia S.r.l., Umbra Cuscinetti S.p.A., Vulcaflex S.p.A., Wartsila S.p.A., Würth S.r.l., 


    Ao pesquisar o impacto dos Sistemas de Bem-Estar Corporativos na produtividade e na competitividade das empresas na Itália, detectou-se que 41% das empresas que adotaram o sistema preveem crescimento em 2017. Subindo para 65% entre as empresas que já implementaram este sistema há mais de cinco anos. Percebeu-se que 37,4% das empresas relataram um aumento na produtividade logo após a aplicação adequada de Políticas de Bem-Estar ocorrendo uma redução de 29,3% de turnover. Imagine, 40% das empresas introduziram serviços adicionais e benefícios de bem-estar, mas apenas 13% podem gabar-se da presença de um sistema integrador há mais de 10 anos. Em 44% das empresas cujo os Sistemas de Bem-Estar Corporativos basearam-se num sistema de comunicação e interação direta com os empregados, obteve-se o aumento de melhores desempenhos. Os custos diretos relacionados com a rotatividade de pessoal diminuiram nas empresas que introduziram planos de previdência, no valor de 1,5%, o que foi 4 pontos percentuais menores do que as empresas que não tiveram ações ativas nesta direção.

    A pesquisa mostrou que as empresas que investiram em sistemas de previdência flexíveis, baseados nas necessidades dos funcionários, puderam beneficiar-se de um aumento da produtividade a médio e longo prazo, além do aumento da retenção (devido à diminuição do volume de negócios), resultando em custos mais baixos devido a busca e substituição de pessoal e treinamento. Os benefícios contribuíram de fato para o desenvolvimento dos funcionários, que abraçam um sentido maior de pertencimento à empresa, tornando o ambiente de trabalho melhor. Essa ferramenta excelente também serve para atrair jovens talentos, funcionando qual motor de crescimento da empresa, melhorando a competitividade e o dinamismo.

    Sistemas de Bem-Estar Corporativos são ativadores de desenvolvimento de negócios, com efeitos a médio e longo prazo, tanto em termos econômicos quanto do bem-estar corporativo.

    Qualquer semelhança é mera coincidência. Será?

    Conforme evidenciado pelos curadores da pesquisa, num cenário cada vez mais complexo, caracterizado por baixos níveis de crescimento econômico, uma contração progressiva do estado de bem-estar e o aumento da incerteza das pessoas que estão começando a ficar mais conscientes da precariedade e da necessidade de proteger sua renda, as empresas tornam-se competidoras mais fortes quando assumem a necessidade de implantarem ações de bem-estar capazes de criar valor para sua comunidade corporativa.

    Dentro deste contexto, na Itália, medidas de Bem-Estar Corporativo, a favor das empresas, ficaram contidas na Lei de Estabilidade 2017 e em regulamentos que incentivam a promoção dos ativos intangíveis das empresas, tais como as diretivas da UE sobre informações não-financeiras e diversidade ( Diretiva 2014 / 95 / UE ) que as empresas e grandes grupos irão, a partir do próximo ano, e também na Itália, tornar não só a informação financeira pública, mas também de relevância social.

    Leia as demais partes e análises deste série: Sistemas de Bem-Estar Corporativos.


    Creare valore con gli Employee Benefit
























    Sistemas de Bem-Estar Corporativos:



      Envie seus comentários e sugestões e compartilhe este artigo!
      brazilsalesforceeffectiveness@gmail.com
      ✔ Brazil SFE®✔ Brazil SFE®´s Facebook´s Profile  Google+   Author´s Professional Profile  ✔ Brazil SFE®´s Pinterest       ✔ Brazil SFE®´s Tweets
      Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...