Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Ferramenta Competitiva Ainda Subestimada Pela Empresa Como Um Motor de Crescimento

Sistemas de Bem-Estar Corporativos - Ferramenta Competitiva Ainda Subestimada Pela Empresa Como Um Motor de Crescimento



Dou continuidade ao artigo Sistemas de Bem-Estar Corporativos - É um Investimento que Agrega Valor e Atrai Talentos? 

Ali introduzi o que a empresa Zurich Investments Life SpA fez ao encomendar uma pesquisa à empresa SWG SpA intitulada: Criando valor através dos Benefícios aos empregados. Sua amostragem foi de 175 Gerentes de RH em empresas Italianas com mais de 100 empregados, excluindo as instituições públicas de empresas de seguro e corretagem de imóveis.  O período abrangido foi de 15 de julho a 10 de setembro de 2016.


Pois bem, 41% das empresas pesquisadas com SBC - Sistemas de Bem-Estar Corporativos proporcionarão crescimento em 2017. Há uma hipótese de ocorrer uma queda de 4 pontos, 37%, nas empresas que não adotarem tais benefícios sociais na empresa. Além disso, observou-se excelentes performances nas empresas que implementaram SBC para os empregados nos últimos 5 anos, em comparação com aquelas que os têm a mais de 6 anos, mostrando-se com 35% de expectativa para 2017, no primeiro caso e 65% no segundo.


Os dados consolidados no relatório expõem a intrínseca interdependência entre o montante investido no bem-estar e o resultado nos negócios em termos de retenção (especialmente dos níveis de profissionais intermediários) e consequente na redução dos custos de substituição de pessoal. Graças à aplicação das políticas de bem-estar adequadas. De fato, 37,4% das empresas têm visto um aumento na produtividade, enquanto 29,3% usufruem a redução da rotatividade de pessoal.


O investimento em Sistemas de Bem-Estar Corporativos, portanto, tem um impacto positivo sobre os custos diretos da empresa, relacionados com a substituição de pessoal. Esta pesquisa mostra ainda que as empresas que registraram altas taxas de rotatividade de empregados (superiores a 5%), hoje são confrontadas com despesas de procura|pesquisa, seleção e treinamento de novos funcionários. O que corresponde a 17,5% dos custos de RH contra 4,5% registrados em média pelas empresas cientes do SBC
Por outro lado, as empresas que introduziram SBCs, obtiveram excelentes impactos em seus custos diretos no volume dos negócios, diminuindo-os drasticamente, atingindo em média 1,5%, um decréscimo de 4 pontos percentuais sobre as empresas que não foram capazes de fazê-lo.


Em particular, o percentual de gastos em "Pesquisa e Consultoria" e treinamento de novos empregados aumentou 3,7% e 5,1% em empresas que não oferecem planos de previdência, em comparação com empresas onde são oferecidos benefícios suplementares.





Creare valore con gli Employee Benefit





















Vitrine

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...