Views

Histats

Vitrine

20 Livros Chave de Inteligência Competitiva - 20 Key Books in Competitive Intelligence

20 Livros Chave de Inteligência Competitiva - 20 Key Books in Competitive Intelligence




















Inteligência competitiva é um campo no qual há muito a se aprender. E ler é um excelente caminho para isso. Os títulos aqui alistados são muito interessantes e não se deixe levar pelo ano da publicação. Alguns deles já contém novas edições, é só pesquisar.

Visão Geral
The New Competitor Intelligence: The Complete Resource for Finding, Analyzing, and Using Information About Your Competitors
1996 - Fuld, L. Wiley - New York

Competitive Intelligence: How to Gather, Analyze, and Use Information to Move Your Business to the Top
1998 - Kahaner, L. - Carmichael - CA:Touchstone Books

Business Intelligence Braintrust. Millenium Intelligence Understanding and Conducting Competitive Intelligence in the Digital Age
2000 - Miller, J. Medford, NJ: Cyberage Books

The Complete Guide to Competitive Intelligence
2002 - Tyson, K. 2nd ed.Chicago: Leading Edge Publications

Adquirindo Informações

Super Searchers on Competitive Intelligence: The Online and Offline Secrets of Top CI Researchers
2003 - Barr, M.M. e R. Basch - Medford, NJ: CyberAge Books

Online Competitive Intelligence: Increase Your Profits Using Cyber-Intelligence
1999 - Burwell. H., Ernst, C.R. e M. Snakey - Tempe, AZ: Facts on Demand Press

Confidential: Uncover Your Competitors’ Top Business Secrets Legally and Quickly - and Protect Your Own
1999 - Nolan, J. A. III - New York: HarperBusiness

Web-Based Analysis for Competitive Intelligence
2000 - Vibert, C. - Westport, CT:Quorum Books

Análises

Competitors: Outwitting, Outmaneuvering, and Outperforming
1999 - Fahey, L. - New York:John Wiley and Sons

Strategic and Competitive Analysis: Methods and Techniques for Analyzing Business Competition
2003 - Fleisher, C.S. e B. Bensoussan - Upper Saddle River, NJ:Prentice Hall

Business Intelligence Using Smart Techniques: Environmental Scanning Using Data Mining and Competitor Analysis Using Scenarios and Manual Simulation
2001 - Halliman, C - Houston,TX:Information Uncover

Competitor Intelligence:Turning Analysis into Success
1999 - Hussey, D. and P. Jenster - Chichester, U.K.: John Wiley & Sons

Contra-Inteligência

War by Other Means: Economic Espionage in America
1999 - Fialka,J.F. - New York: W.Norton

Protecting Your Company Against Competitive Intelligence
1998 - McGonagle, J.J. and C.M Vella - Westport, CT: Quorum - Books

Corporate Espionage: What It Is, Why It Is Happening in Your Company, What You Must Do About It
1997 - Winkler, I. Prima - Rocklin, CA

Washington Researchers Ltd. How Competitors Learn Your Company’s Secrets
1998 - Researchers Ltd - Washington, D.C.: Washington

Sistemas e Gerenciamento de Dados

Information Technology for Knowledge Management.
1998 - Borgoff, U. and R. Pareschi - Berlin: Springer Verlag

Assessing Competitive Intelligence Software: A Guide to Evaluating CI Technology
2003 - Bouthillier, F., and K. Shearer - Information Today Inc

Decision Support Systems and Intelligence Systems
1999 - Turban, E. and J. Aronson - Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall

Knowledge Management in the Intelligence Enterprise
2003 - Waltz, E. - Boston: Artech House



Leituras Recomendadas
Fuld, Leonard M. The New Competitor Intelligence: The Complete Resource for Finding, Analyzing, and Using Information about Your Competitors, John Wiley & Sons, 1995.

Gilad, Ben. "An Ad Hoc, Entrepreneurial CI Model," Competitive Intelligence Magazine, 3(4), 2000, 33-39. Online at http://www.scip.org/news/cimagazine_article.asp?id=165

Herring, Jan P., Measuring the Effectiveness of Competitive Intelligence: Assessing & Communicating CI's Value to Your Organization, 2nd edition, SCIP Publications, 1999.

Horowitz, Richard. Competitive Intelligence and the Economic Espionage Act: A Policy Analysis, SCIP Publications, 1999. Online at http://www.scip.org/Library/white.pdf

Miller, Jerry P. et al., Millennium Intelligence: Understanding and Conducting Competitive Intelligence in the Digital Age, CyberAge Books, 2000.

Porter, Michael E., Competitive Strategy: Techniques for Analyzing Industries and Competitors, The Free Press, 1980.

Prescott, John E. and Stephen H. Miller (eds.), Proven Strategies in Competitive Intelligence: Lessons from the Trenches, John Wiley & Sons, 2001.
Society of Competitive Intelligence Professionals, 2000/'01 Competitive Intelligence Professionals Salary Survey and Reference Guide on Analyst Job Descriptions, SCIP Publications, 2001. Summary
online at http://www.scip.org/ci/salexec.asp


Ei! Envie os seus comentários e sugestões de artigos. Compartilhe com o seu chefe, colegas de trabalho e amigos.


Informe - Lista de Laboratórios Farmacêuticos do Brasil

Informe - Lista de Laboratórios Farmacêuticos do Brasil
























































































Lista do Laboratórios Farmacêuticos no Brasil.


Ei! Envie os seus comentários e sugestões de artigos. Compartilhe este artigo com seu chefe, colegas de trabalho e amigos.

As 20 Regras Primárias do Líder

As 20 Regras Primárias do Líder







































Cargos de responsabilidade implicam em liderar outros. Nem sempre tais cargos são ocupados por Líderes porque sê-lo prescinde reconhecer outros. Diretores, gerentes e chefes buscam sê-lo.

Para ocupar uma posição assim precisamos decidir se faremos a diferença através da aplicação destas 20 Regras Primárias do Líder.


Comportamento Pessoal

Compartilhe responsabilidades, êxitos e fracassos com a equipe.

Não sobrecarregue o grupo apenas com as ansiedades, compartilhe os méritos e os bons resultados.

Preocupa-se  com o desenvolvimento profissional dos membros da sua equipe e não somente com os seus resultados.

Treinamento é fundamental num mercado dinâmico, desperceber isso é estar em desvantagem.

Transmita conhecimento, quando não os têm o suficiente, busca por eles.

A melhoria do contínua também deve partir do Líder. Líderes atualizados são um diferencial para as suas equipes.

Quaisquer processos devem ser executados independentemente da presença do Líder.

A liberdade de execução e ação por qualquer membro do time dá autonomia e demonstra confiança mútua.

Compartilhe a carga de trabalho, nunca descanse enquanto o time estiver trabalhando.

O envolvimento do Líder serve de incentivo presencial ao esforço do grupo

Seja exemplo através dos seus resultados pessoais e comportamento, tornando-se uma fonte de inspiração

Os exemplos práticos são mais fáceis de serem seguidos. Emplacam mais do que palavras.

Assuma responsabilidades

Aprenda a assumir responsabilidades por tudo o que estiver sob seus cuidados.  Quer tenha sucesso ou não.

Não há aprendizagem sem erro, portanto admita quaisquer possíveis erros.

Arrisque-se

Assuma algum risco por experimentar coisas novas. Permita que membros do seu time façam o mesmo.

Assumir riscos faz parte do papel de Líder. Líderes não demonstram medo de colocar em prática aquilo em que acreditam.

Prove suas competências por assumir projetos que ninguém quer desenvolver.

Seja Receptivo

Receber feedback é expor-se a pessoas com visões e percepções diferentes das suas.

Um líder precisa de feedback constante.

Exponha-se

Ofereça as suas ideias, pensamentos e planos.

Sinta a vulnerabilidade da exposição.

O seu exemplo inspirará os membros da sua equipe a fazer o mesmo.



Conquista do Grupo

Contagie a equipe com seu entusiasmo

O Líder tem a responsabilidade de envolver a equipe na missão da empresa.

Estimule o espírito de equipe

Faça o grupo enxergar que o objetivo de todos deve ser compartilhado e trabalhado em conjunto.

Demonstre através de ações efetivas que fará de tudo para conduzir o grupo neste espírito.

Esteja pronto para ajudar

Coloque-se prontamente à disposição para quaisquer necessidades do time.

Não se concentra no poder e em ser reconhecido

O foco do Líder é desenvolver o seu time e fazê-lo obter sucesso, qualquer desvio deste papel, inspira desconforto e desconfiança à equipe.

O sucesso de sua equipe é seu maior sucesso e reconhecimento

Os seus liderados só acreditarão na afirmação acima se virem vez após vez, o seu empenho em desenvolvê-los e defendê-los.

Incentive a criatividade

Os membros da sua equipe precisam ser estimulados a terem as suas próprias ideias, sendo proativos.

Não fique limitado a dar orientações à distância, participe em todos os passos.

Compartilhe a visão de que todos devem ganhar juntos

Quando a maré sobe eleva todos os barcos.

Estimule o time a pensar sempre em situações nas quais ambas as partes saem vencedoras.

Influencie positiva os membros do seu time.

Inspire a sua equipe por demonstrar que as suas ideias trazem resultado para todos.

Registre as suas ideias e estimule o seu time a fazer o mesmo

Estimule todos os membro a registrarem as ideias que têm, mesmo quando não houver planos de como implementá-las.

Faça o mesmo e demonstre como pode ser benéfico não permitir que boas ideias se percam.

Demonstre Princípios

Não seja arrogante.

Não tenha uma postura de superioridade.

Peça feedbacks anônimos.

Saiba Delegar

Ensinar outros e dar espaço para que se desenvolvam é muito importante para o crescimento individual dos membros da equipe.

Dê condições para que as tarefas que delegou sejam cumpridas.

Assessore mediante quaisquer problemas.


Ei! Envie seus comentários e sugestões. Compartilhe este artigo.

Gestores da Força de Vendas - Nenikekamen - Uma Crise não é motivo de desespero, apenas mais uma Maratona

Gestores da Força de Vendas - Nenikekamen - Uma Crise não é motivo de desespero, apenas mais uma Maratona





























Em momentos aparentemente difíceis, é histórico que boas oportunidades sempre apareçam. Tendo essa percepção diferenciada em mente, não podemos demostrar qualquer abatimento, antes ficarmos preparados e disponíveis para aproveitarmos quaisquer aberturas que se nos apresentem.

Ninguém corre uma maratona sem preparação.

Segundo o grande contador de estórias Heródoto, em 490 AEC, Feidípides ou Fidípides (Φειδιππιδης em grego), um soldado ateniense, foi enviado para buscar ajuda em Esparta antes da batalha de Maratona. Este esforçado herói chegou a Esparta no dia seguinte, após correr uma distância de pelo menos 200 quilômetros.

Os atenienses venceram e os persas recuaram para os seus navios partindo em direção à Atenas. Com medo de que estes desejassem uma revanche contra a cidade desprotegida e desavisada, Feidípides teria retornado correndo à Atenas para avisar sobre a batalha. Após ter anunciado Nenikekamen! ('Nós vencemos! Numa transliteração do grego antigo νενικήκαμεν), caiu morto, devido tamanha exaustão.

Por causa deste esforço Atenas teve tempo para se organizar, fechar a cidade e passar ilesa pelo ataque persa. Hoje a corrida chamada Maratona baseia-se nessa estória de Feidípides, que teria corrido os 42 km que separavam Atenas de Maratona.


A reflexão
O herói morreu, a cidade salvou-se. Confesso não gostar desse desfecho.

O mundo corporativo é extremamente competitivo e assemelha-se diversas vezes a um verdadeiro campo de guerra, especialmente em momentos de crise.

Diariamente faz-se necessários corrermos Maratonas com o propósito de trazermos vantagens à nossa empresa. Demonstrando o devido senso de responsabilidade e profissionalismo nos entregamos dia a dia ao sacrifício, mas certamente não queremos ter o mesmo fim do pobre Feidípides. Por quê? Ora, porque durante a semana correremos outras Maratonas e depois outra e mais outra. Para continuarmos competitivos, bons corredores, mesmo sobre 'guerra', precisaremos investir algum tempo em nossa preparação.


Atitude
Sim, uma possível crise pode ser comparada a uma guerra e isso pode afetar a nossa atitude e ânimo. Podemos nos colocar no lugar do nosso herói. Não sei dizer o quanto estava fisicamente preparado, mas parece-me que apesar da sua inquestionável lealdade, o seu preparo físico deixou a desejar.

O que nos resta?

Bem, se não estivermos emocional e mentalmente preparados, realmente animados e comprometidos com o nosso trabalho, sucumbiremos como o pobre Feidípides. E outros poderão decretar a nossa derrocada profissional.

Não permitamos que uma possível crise nos desanime ou nos desestimule a continuarmos sendo os melhores no que fazemos em nossas áreas de atuação.

Vamos continuar firmes, sendo alegres, ativos, contagiantes. Sejamos otimistas e insistentes e poderemos colher não uma coroa de louros, mas os resultados profissionais pelos quais tanto nos empenhamos diariamente, Maratona após Maratona.

Envie os seus comentários, bem como sugestões de artigos. Compartilhe este artigo com outros.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...